1 de fevereiro de 2012

PERDÃO DE PECADOS




 »SALMOS 32
Confessei-te o meu pecado, e a minha iniqüidade não encobri. Disse eu: Confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a culpa do meu pecado.
 "É certo que Deus exige do homem que confesse suas culpas e pecados, na luz da palavra de Deus o rebelde é instado a arrepender-se e confessar suas transgressões ao Senhor, diz o sábio Salomão:"

»PROVÉRBIOS 28
13 O que encobre as suas transgressões nunca prosperará; mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia.
 "O Senhor Deus dando mandamento ao se povo disse: "Então confessarão a sua iniquidade, iniquidade de seus pais com as suas transgressões que transgrediram contra mim".
Esdras o grande líder dos Judeus pós cativeiro disse numa certa ocasião ao povo, "Agora pois fazei confissão ao Senhor Deus de vossos pais e fazei a sua vontade."


»I JOÃO 1
9 Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.
 "Cada membro da comunidade dos Santos é ensinado procurar sempre a presença do Senhor para proceder da mesma maneira, quando o Senhor instruiu o povo sobre o sacrifício pelos pecados ocultos disse: "

»LEVÍTICO 5
5 Deverá, pois, quando for culpado numa destas coisas, confessar aquilo em que houver pecado.
"Confessei-te o meu pecado e minha maldade não encobri"

 "Há alguns princípios Bíblicos que são básicos que diz respeito a confissão de pecados, o primeiro princípio que a Bíblia afirma a este respeito é que a pessoa a quem a confissão de pecados deve ser feita é a Deus, exclusivamente a Deus. O pecados é sempre falta cometida contra a Deus, cuja Santidade é ofendida pela nossa maldade e cuja lei é quebrada pela nossa desobediência, o Salmista confessou; contra Ti, contra Ti somente pequei e fiz aquilo que aos Seus olhos parecia mal. Assim como a confissão de pecados deve ser sempre dirigida a Deus, também o perdão também só pode ser obtido Dele, o direito de perdoar o pecado é prerrogativa de Deus, inalienável e intransferível, se Deus é o ofendido, só Ele pode perdoar o ofenssor.
A pergunta feita a Jesus por um dos seus inquiridores, constitui fiel interpretação do ensinamento Bíblico sobre este assunto; Quem pode perdoar pecados senão Deus? O direito de perdoar ou reter pecados, conferidos por Jesus não apenas aos apóstolos, mas a todos os seus discípulos, só pode ser entendido como de caráter declaratório, outro princípio refere-se ao conteúdo da confissão, a confissão pessoal de pecados, não é o pecado da minha igreja, do meu irmão ou o do pastor que eu devo confessar a Deus, porém os meus pecados.
Quando estamos nos referindo aos pecados dos nossos irmão, estamos sendo semelhantes ao fariseu da parábola que se colocou perante Deus a fim de inumerar os pecados de outros, com a única diferença de que enquanto o fariseu ao confessar-se, afogava-se em suas virtudes.
Certo Psicólogo disse: Aquilo que somos projetamos no outro, quando dizemos que não somos igual ao nosso irmão é porque somo exatamente igual a ele.
A confissão é pessoal e a ênfase deve ser para a palavra Pecado, não confissão de ansiedade, de desajustamento, de senso de frustração e outros nomes queiramos dar aos nossos problemas, mas confissão específica das nossas transgressões, PEQUEI CONTRA TI SENHOR, confissão que resulta em profunda e perturbadora consciência de culpa e que se firma em humilde esperança de perdão. Muitas pessoas estão confessando seus pecados afim de externar suas faltas e fraquezas, a confissão segundo a Bíblia nos mostra que devemos confessar nossas transgressões, chorarmos nossos pecados, arrependermo-nos e recebermos o perdão que Ele tem para todo aquele que confessa e deixa."