12 de dezembro de 2011

Mulheres em Autoridade


O Antigo e o Novo Testamento falam das mulheres com profundo respeito por elas como pessoas e por seu trabalho no reino de Deus. Embora a cultura israelita fosse patriarcal, o Antigo Testamento dá um lugar proeminente ao caráter, liderança e serviço de muitas mulheres. Isso é bem evidente nos títulos "profetiza" e "juíza" dados à muitas mulheres, e na participação delas na adoração individual e familiar a Deus.
No Novo Testamento, a pronta aceitação e inclusão de mulheres no ministério de Jesus está em contraste com o desdém e a atitude condescendente de muitos de seus contemporâneos. Os encontros registrados entre Jesus e várias mulheres ilustram sua disposição de associar-se com elas e seu respeito por sua inteligência e fé. A igreja primitiva seguiu o padrão de Cristo, incluindo as mulheres como membros plenos. Elas tiveram um papel significativo na vida da igreja, ensinando os homens e as mulheres e cuidando dos necessitados.
O Novo Testamento afirma que as mulheres e os homens são igualmente membros do sacerdócio de todos os crentes, por meio da fé em Jesus Cristo. As Escrituras ensinam claramente que homens e mulheres são iguais, tendo o mesmo relacionamento com Deus. No entanto, as Escrituras também revelam uma ordem em seus relacionamentos uns com os outros e para com Deus. Para Deus, igualdade não significa que somos iguais diante dele. A discussão do Novo Testamento dessas relações está enraizada em uma ordem divina que não é anulada pela nova criação.
As Escrituras mostram que a provisão para a cobertura de autoridade para uma mulher deve vir de seu pai ou de seu marido. Qual então é a condição de uma mulher quando não há um homem em uma posição de autoridade espiritual? Não é uma questão fácil de responder. Entretanto, o princípio da Palavra de Deus é que ele é quem provê as necessidades do crente em todas as áreas em que este não tenha as forças. Assim, quando outra necessidade está faltando, a mulher deve buscar essa autoridade diretamente em Jesus Cristo.
Quando a mulher é solteira e está sozinha, deve buscar em Jesus Cristo a autoridade, como buscaria de um pai humano e cristão que vive em perfeita comunhão com Deus. Os princípios bíblicos de autoridade espiritual, apresentados daqui para a frente, devem ser usados pela mulher solteira para sua própria proteção. Todas as provisões de Deus para a implementação do poder da autoridade estão disponíveis para a mulher para seu próprio bem.
No caso da mulher que é mãe solteira, a implementação da autoridade é mais complexa. É mais difícil para uma mãe manter uma cobertura sobre as crianças do que é para o pai. Ela precisa compreender melhor e interceder mais do que o pai, pois será mais atacada por Satanás do que no caso em que há um pai e uma mãe. Satanás sempre concentra seus ataques nos pontos em que identifica alguma debilidade. Entretanto, o Senhor prometeu que nunca nos deixará nem nos desamparará e a mulher que confiar em suas promessas poderá obter toda a ajuda de Deus. A mulher que compreende bem os princípios bíblicos pode ser tão vitoriosa na guerra espiritual quanto um homem.
Quando há um pai presente no lar, mas ele não é um crente que vive dentro da vontade de Deus, a mulher ainda pode buscar a autoridade de Jesus. Entretanto, essa condição é talvez a mais difícil que uma mãe cristã pode enfrentar, porque ela está restringida, pois não deve tentar usurpar a autoridade do pai, e por outro lado está preocupada com a condição espiritual das crianças. Ela precisa orar e interceder pelos filhos e pelo marido, em total confiança no Senhor, que ele poderá ajudá-la mesmo nessas circunstâncias.