19 de novembro de 2011

Você não é Salomão, mas pode orar como ele !


Não existe um modelo especial de oração; seria uma reza. A Palavra de Deus nos dá uma série de exemplos de como podemos, se quisermos, balizar as nossas orações. Pareando com a do Rei, ?Pai Nosso?, temos a famosa ?Oração de Salomão? (1 Rs 8.22-53). Apenas para despertar o interesse do leitor em um aprofundamento do texto da oração do rei, escrevi este artigo que está longe de ser considerado fabuloso, mas a Oração de Salomão, sim.

Resolvi compartilhar com os irmãos algumas lições que extraí do texto, como a seguir:

22 - A oração deve ser feita com postura adequada para cada situação.
Salomão pôs-se publicamente diante do altar do Senhor e estendeu as mãos aos céus.

23,24 ? Deus deve ser enaltecido.
Salomão reconheceu que Deus é soberano sobre tudo, cumpre promessas e é misericordioso para com todos os que têm um coração reto.

25,26 ? Deus é fiel em cumprir promessas, mas deve ser invocado.
Salomão cobrou promessa já feita por Deus sobre Israel, condicional à obediência de seu povo.

27 ? Deus é Espírito e não pode ser delimitado.
Salomão reconheceu que o Criador não pode se sujeitar à sua própria criação; muito menos, a um templo edificado por mãos humanas.

28,29 ? A oração deve ser acompanhada de súplica e clamor.
Salomão fez uma oração apurada visando obter a atenção diuturna de Deus.

30 ? Oração pode ser coletiva.
Salomão rogou a Deus que ouvisse a oração do povo e o perdoasse.

31,32 ? Pedido de julgamento de litígio entre justo e injusto.
Salomão rogou a Deus que defendesse o seu povo diante de ameaças e pressão inimiga.

33.34 ? Pedido de vitória mediante conversão.
Salomão sabia que a derrota é evidente quando se peca, embora sabendo disto ele pedia a Deus que atentasse para o desejo dos que se arrependem, dando-lhes posse na terra prometida.

35,36 ? Pedido de suprimento natural a terra.
Salomão rogou a Deus que enviasse a chuva, retida devido à desobediência do povo, depois de uma real conversão pelos pecados cometidos.

37-40 ? Pedido de proteção na fome, pragas e pressão inimiga.

Salomão rogou o favor de Deus quando nas adversidades, desde que o povo reconhecesse as chagas no coração e estendesse as mãos para o rumo da casa. Salomão pediu também que Deus trate a cada um segundo o seu próprio caminho. O rei desejava que o nome do Senhor fosse respeitado e temido.

41-43 ? Pedido para que o estranho seja atendido.
Salomão não tinha Deus como senhor exclusivo de Israel e por isso rogou a bênção sobre todos os estrangeiros, para que o nome de Jeová fosse conhecido entre todos os povos da terra.

44,45 ? Oração por quem está pelejando na orientação de Deus.
Salomão rogou a Deus que ouvisse a oração dos guerreiros, desde que eles estivessem dentro do plano divino.

46-50 ? Oração por quem se arrepende no cativeiro.
Salomão pediu a Deus que perdoasse o Seu povo quando ?caísse em si? e se arrependesse de seus pecados, mesmo estando em condição adversa em cativeiro.

51-53 - Declaração de propriedade.
Salomão declara que o povo é propriedade exclusiva de Deus (herança), tirado do Egito em situação de vida precária. Pede a Deus que ?veja? a súplica do povo para que possa atentar para os seus pedidos, porque o povo de Deus foi eleito para Sua herança.